NOSSA HISTÓRIA

Transcorria a década de 40 do século XX.

Época marcada pela Segunda Guerra Mundial e também por grandes mudanças.

O Brasil passava por um período de grande desenvolvimento e transformações sociais, econômicas e territoriais. A população até então predominantemente rural gradativamente tornava-se mais urbana. Passava-se da longa tradição cafeeira agroexportadora do Século XIX e início do XX para uma significativa economia de base industrial.

Com o objetivo de libertar o País da dependência do aço externo, estudava-se um projeto siderúrgico brasileiro que tomou propulsão com a eclosão da 2ª Guerra Mundial em 1939.
Por sua localização geográfica privilegiada em relação às principais cidades consumidoras e fornecedoras de matéria prima, Volta Redonda foi escolhida como cidade-sede da Companhia Siderúrgica Nacional - CSN, fundada em 9 de abril de 1941, a qual forneceu as bases para a industrialização nacional.

Em 1940 possuía 2.782 habitantes distribuídos em dois pequenos núcleos urbanos que formavam o povoado de Santo Antônio de Volta Redonda. Era o 8º distrito do Município de Barra Mansa, só conquistando sua emancipação em 17 de julho de 1954.

Para construir e operar a CSN, chegavam trabalhadores oriundos principalmente das áreas rurais da Zona da Mata (Minas Gerais e Espírito Santo).
De 1941 a 1945, dentre os trabalhadores que chegavam à Volta Redonda, alguns traziam dentro de si uma semente luminosa. Eram alguns poucos simpatizantes e conhecedores da Doutrina dos Espíritos. Desconhecidos entre si, não tardariam a se congregar em torno de um grande ideal.

No início de 1945, um fato inusitado relacionado à fenomenologia espírita levaria alguns desses irmãos a um trabalho conjunto. Um pai de família que residia no bairro São João havia se enforcado e pouco tempo depois esse espírito começou a influenciar uma de suas filhas que residia na mesma casa onde o triste fato ocorreu.

Esta situação chegou ao conhecimento de alguns dos irmãos espíritas e então o confrade Adauto de Souza Telles, que antes frequentava o Grêmio Espírita Nazareno, no bairro Encantado – RJ, buscou maiores informações sobre o episódio e acabou por concluir que tratava-se de um processo obsessivo.

Levou o fato ao conhecimento dos confrades Sebastião Marques e Sebastião Pereira de Assumpção para uma análise conjunta e decidiram reunir um grupo maior para abordagem do problema, pois, dessa forma, agiriam com mais segurança, uma vez que o processo obsessivo poderia acarretar consequências embaraçosas e desagradáveis. Passaram então a contar com a colaboração de novos irmãos: José Ribeiro Vaz, Wagner Dias Barbosa, Bráulio Pires Baptista, Oswaldino Gamboa, Afonso Pereira da Silva e o Dr. João Gomes de Miranda.

O abnegado grupo, numa ação desinteressada e caridosa, prestou toda assistência espiritual àquela família, conseguindo debelar o processo obsessivo, iniciando a semeadura do Espiritismo em Volta Redonda.

O êxito alcançado animou esses irmãos que passaram a alimentar a ideia de fundar uma instituição espírita na cidade. A primeira reunião com esse fim foi realizada no lar do Dr. João Gomes de Miranda, que situava-se na Avenida Paulo de Frontin, exatamente onde funciona hoje a Igreja Metodista, no bairro Aterrado. Naquela casa, no dia 19 de agosto de 1945, foi fundada a Instituição que, por sugestão de um espírito chamado Caboclo Ubiratan, que se comunicou através do médium Wagner Dias Barbosa, passou a denominar-se Associação Espírita Estudantes da Verdade.

Na reunião subsquente do grupo, manifestou-se através do médium Adauto de Souza Telles o espírito Frade Antônio Silva que sugeriu que a Associação adotasse o Padre Francisco de Paula Vítor, de Três Pontas – MG, como patrono espiritual, o que foi aceito, embora nenhum dos membros tivesse conhecimento da existência daquela Entidade Espiritual.

O passo seguinte foi convocar uma Assembleia Geral para o dia 07 de setembro de 1945. Nesse dia, num imóvel alugado na Rua São João, n° 92, reuniram-se 25 espíritas, simpatizantes ou interessados, que referendaram a fundação da AEEV. Nessa mesma assembleia foi aprovado o Estatuto da Associação, publicado no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, de n° 4.301, de 14 de novembro de 1945, assim como foi escolhida, por aclamação, a Diretoria Executiva que dirigiria a AEEV naquela fase inicial. E, para a alegria de todos, o confrade Oswaldo Silva recebeu uma mensagem do Dr. Bezerra de Menezes, coroando dessa forma os trabalhos daquele memorável dia.

As atividades da AEEV vinham sendo realizadas em sua sede provisória, no imóvel alugado na Rua São João, mas em 30/12/1950, na gestão do confrade Aleixo Victor Magaldi, foi comprado um terreno situado na atual Rua Carlos Chagas, 708, Bairro São Lucas, onde construiu-se a sede definitiva da AEEV. Inicialmente foi construída uma “meia-água” para desenvolvimento das atividades. Posteriormente, foi erguido um prédio projetado pelo saudoso Dr. Hernani Guimarães Andrade, que era sócio e colaborador da Instituição. Anos mais tarde, na gestão do confrade Vena Mascarenhas, a construção original sofreu profunda reforma. O prédio foi ampliado e ganhou 4 pavimentos com instalações mais adequadas ao funcionamento da livraria, secretaria, biblioteca, salas de aula, salas de costura e um salão para eventos.

A construção da CSN, o desenvolvimento da cidade, a chegada do espiritismo na região e a fundação da primeira Instituição Espírita de Volta Redonda, a AEEV, foram fatos que aconteceram simultaneamente, demonstrando o amor e o trabalho constantes da Espiritualidade Maior na condução de todas as ocorrências. Cuidou Ela de implantar um foco de luz que se derramaria sobre toda a cidade. Não era apenas o progresso material que chegava, também fazia parte do planejamento a chegada de uma nova diretriz capaz de transformar Velhos Homens em Homens Novos.

Desde a sua fundação, durante décadas ininterruptas, através de centenas de abnegados trabalhadores encarnados, orientados pelos irmãos desencarnados, que a AEEV vem desenvolvendo suas atividades doutrinárias, fiel à Codificação Kardequiana.

Não há como expressar nossa eterna gratidão àqueles confrades que trouxeram consigo essa nova luz, e à Espiritualidade Maior na condução de todos os acontecimentos, principalmente nosso Mentor, Francisco de Paula Vítor, que com a ajuda de irmãos encarnados e desencarnados, dirige ininterrupta e amorosamente os trabalhos desse imenso Hospital-Escola que é a AEEV.

historico 01

• 1º local onde funcionou a AEEV – sede provisória:
Rua São João, n° 92 – atual Bairro São João - VR



A evolução da sede definitiva, na atual Rua Carlos Chagas, Bairro São Lucas - VR

historico anos50  historico 1962
• Anos 50 • 1962



historico fachada atual 
• Fachada atual

Boletim informativo

boletim
Baixe gratuitamente nosso informativo mensal

pdf icone JUNHO

pdf icone JULHO

pdf icone AGOSTO

pdf icone SETEMBRO

pdf icone OUTUBRO


Confira as edições anteriores

Almoço de Confraternização

almoco

06 de Outubro de 2019 - Domingo

  • Bisteca Especial
  • Batata Sauté
  • Arroz branco
  • Tutu

Horário: de 12h às 13:30h
Valor: R$ 18,00
Embalagem para viagem: R$ 1,00

Adquira seu convite com antecedência na secretaria da AEEV.

 

 

 

sapse

livraria

clube do livro

FEB logo

CEERJ

36ceu